Comemorações dos quarenta anos - Lúcia Noya Galvão

Notícias

25/02/2010

Comemorações dos quarenta anos - Lúcia Noya Galvão

25/02/2010
Comemorações dos quarenta anos - Lúcia Noya Galvão

Publicado na Folha de Pernambuco - 25.02.2010

Recentemente, participei de duas comemorações de 40 anos de formatura. A minha em Direito na Universidade Federal de Pernambuco e a da minha irmã gêmea em Medicina também na UFPE. Como somos irmãs gêmeas e amigas sempre participamos das festividades de formatura dos dois cursos. Desta vez minha irmã não pode participar do jantar do meu grupo, pois ainda estava em São Paulo, onde mora, mas eu participei da programação do grupo dela.

Minha turma de Direito da UFPE de 1969 fez um jantar de confraternização no Spettus do Derby. Além de mim, dele participaram Adonis Costa e Silva, Alexandre da Fonte, Almir Philllipini, Álvaro Borba, Ana Maria Pastick, Ângela Mesquita, Carlos Adilson Pinto Lapa, Dora Albuquerque, Fernando Valença, Frederica Kriek, Geminiano Jurema, José Luiz Marques Delgado, Lenilda Delgado, Lúcia Lins, Lucilo Varejão Neto, Luiz Otávio Cavalcanti, Manoel  Moreira Alexandre Filho (Nelito), Margot, Maria Coeli, Mario Souza Leão, Nivaldo Mulatinho, Paulo Bezerra, Paulo Carvalho, Norma Gersoy, Ricardo Guerra, Rinaldo Melo,  Vera Judith Oliveira, Terezinha Leite, além de Vital Novaes. Pessoalmente, as grandes ausências para mim foram Norma Cyreno Rolim, amiga de infância, e Penha Silva, companheira constante dos festejos, como foram muitos, em 1969.

Nosso grupo mandou celebrar uma missa no dia 19 de dezembro, mas como estava no exterior, fui à Síria, Jordânia e Emirados Árabes Unidos (onde conheci Dubai e Abu Dhabi, a capital daquele país), pedi, antes de viajar e participando dela, que fosse celebrada uma, na igreja de Nossa Senhora da Boa Viagem, na pracinha. O ato religioso foi para todos, os vivos e os mortos, da turma de 1969 da Universidade do Recife, naquela época, hoje UFPE. Não me lembro dos nomes de todos os que se encantaram, mas recordo do José Marcos Carvalho, que organizava as comemorações dos aniversários  da  formatura, o Evoide, o primeiro que partiu, a Mércia, o João Hissa Hazim, o Lúcio Flávio Tavares Pessoa de Melo.

As festividades da minha irmã começaram no Hospital Pedro II, onde foi celebrada uma missa pelo frei Aluísio Fragoso, seguindo-se um coquetel. No mesmo dia, à noite, houve um jantar de congraçamento no Boi Preto. E as comemorações continuaram durante mais quatro dias, no Sumerville, em Muro Alto, no município pernambucano de Ipojuca.

Como o tempo corre depressa, parece que foi ontem que entramos na universidade, minha irmã para fazer o curso de Medicina na Universidade do Recife e eu, um ano depois, na de Direito na mesma instituição de ensino superior. Como o curso dela tem a duração de seis anos e o meu de cinco terminamos no mesmo ano, 1969.

Lembro que a madrinha da minha irmã foi a mãezinha, Dulce Noya, e a minha Cacá, Carmen Noya de Oliveira Leal, nossa segunda mãe. Em 1990 a Cacá se encantou e em 2002 foi a vez da mãezinha. Como elas ficaram felizes nas nossas formaturas e, tenho certeza disso, que onde estiverem ficaram felizes nas comemorações dos 40 anos de nossas conclusões dos cursos superiores, como também ficou nosso irmão, Ronaldo José Noya Muniz da Rocha, que também já partiu para outra dimensão, onde um dia haverá um novo encontro conosco.

 
 

Voltar